Fotografou? Fez um vídeo? Mande para o WhatsApp do
DIÁRIODONOROESTE: (22) 99811-5345

O secretário estadual de Agricultura, Pecuária, Pesca e Abastecimento, Jair Bittencourt foi um dos membros compôs o grupo de parceiros para o lançamento do Plano ABC, na quarta-feira (7), em Niterói, na sede da Secretaria. O planejamento visa diminuir a emissão de Gases de Efeito Estufa (GEE). O documento foi apresentado pela secretaria estadual de Agricultura e elaborado com a parceria de 11 entidades ligadas ao setor no estado.

A documentação, elaborada em parceria pelas secretarias estaduais de Agricultura e do Ambiente, Emater-Rio, Pesagro-Rio, Ministério da Agricultura, Embrapa, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ), Banco do Brasil, Sebrae, Faerj e Firjan faz parte das estratégias nacionais estabelecidas pela Lei Federal 12.187/2009 e do compromisso brasileiro, assumido na Cop-21/2015, em Paris, de reduzir as emissões de gases de efeito estufa (GEE) em 37% até 2025 e 43% até 2030.

No Estado do Rio de Janeiro o Plano tem como objetivos ampliar a adoção das tecnologias de produção sustentáveis no setor agropecuário, reduzir as emissões de GEE, contribuir com a segurança alimentar e aumentar a resiliência aos efeitos das mudanças climáticas.

Na ocasião, o secretário estadual de Agricultura, Jair Bittencourt, ressaltou que o Estado já vem realizando essas ações, através do programa Rio Rural, e que as metas propostas no planejamento já estão sendo trabalhadas. “Não cabe mais a produção de alimentos dissociada da preservação ambiental. As políticas públicas para o setor no Rio de Janeiro estão alinhadas com o propósito do governo federal”, enfatizou Jair Bittencourt.

Ao apresentar o Plano ABC-RJ, a coordenadora técnica do Rio Rural e representante da secretaria de Agricultura no grupo gestor que elaborou o documento, Helga Hissa, destacou a meta de 326 hectares a serem trabalhados através da recuperação de pastagens degradadas, integração lavoura-pecuária e floresta e florestas plantadas. “Algumas das modalidades de sistemas sustentáveis preconizadas pelo Plano já são apoiadas pelo Rio Rural e estão implantadas em áreas atendidas pelo programa”, ressaltou a coordenadora.

De acordo com o 3º Inventário de Emissões de Gases de Efeito Estufa, realizado em 2015, no Estado do Rio de Janeiro, o setor da Agricultura responde por 5% das emissões de GEE, enquanto o setor de produção de energia é responsável por 76%. O Plano ABC-RJ terá o período de vigência de 2018 a 2030, cabendo ao Comitê Gestor revisar as metas considerando o novo período do Plano ABC nacional (2021-2030).

Ascom