Fotografou? Fez um vídeo? Mande para o WhatsApp do
DIÁRIODONOROESTE: (22) 99811-5345

A Incubadora Rio Criativo, plataforma de Economia Criativa ligada à Secretaria de Cultura, realiza caravanas a municípios fluminenses, oferecendo oficinas e consultorias para incentivar o empreendedorismo de acordo com as demandas locais. Cerca de 150 empreendedores participam de cada caravana e, ao longo de um ano, todas as regiões fluminenses recebem os encontros. Criada em 2009, a incubadora mantém uma escola que atende, por ano, 5 mil empreendedores no estado. E este ano trouxe uma novidade: o programa Cidades Criativas. Marcos André Carvalho, assessor especial de Economia Criativa, explica como funciona o fomento da economia fluminense.

De que forma o Rio Criativo impacta positivamente na economia do estado?

O Rio de Janeiro é o estado em que a economia criativa tem a maior participação no PIB. Depois da indústria do petróleo, a indústria criativa é a segunda maior do estado. A incubadora Rio Criativo veio justamente fortalecer os empreendedores criativos e culturais para que eles se capacitem em gestão cultural e possam dar sustentabilidade a seus empreendimentos, fazendo com que essas ONGs e produtoras culturais cresçam e gerem empregos.

Quais os tipos de negócios podem contar com a incubadora?

Os setores apoiados pela Incubadora Rio Criativo são todos aqueles que compõem a economia criativa: música; artes cênicas; artes visuais; cinema; animação; cultura popular; literatura; artesanato; TV e rádio; indústria audiovisual; games; mercado editorial; moda; design; arquitetura; publicidade; gastronomia; e turismo cultural.

O que não pode faltar na proposta do empreendedor que quer se favorecer do Rio Criativo?

O importante é que o empreendimento seja inovador e tenha um alto potencial de geração de emprego e renda.

O que é o programa Cidades Criativas?

O Cidades Criativas é uma realização da Secretaria de Cultura em parceria com a Light, através da Lei de Incentivo à Cultura do Estado, e com a Firjan. O programa prevê o mapeamento digital de 150 pontos culturais e oficinas de capacitação em gestão para os pontos mapeados.

Quais as primeiras cidades que receberão essas chancelas?

Inicialmente, três localidades receberão as chancelas do Cidades Criativas: Caxias, Vassouras e Valença. Elas serão mapeadas através de mapas digitais georreferenciados espelhados em aplicativos para celular. Assim, o turista poderá conhecer o circuito cultural da cidade através do App, que indicará o mapa completo dos pontos de cultura.

O que o programa prevê além dos mapas culturais digitais?

Os empreendedores locais receberão capacitação em gestão cultural por seis meses, com o objetivo de fazer seus empreendimentos crescerem de forma sustentável. Nós acreditamos que o Cidade Criativa irá desenvolver as indústrias criativas locais, promovendo o desenvolvimento econômico através da cultura.