Copacabana tem ato em prol da liberação da realização de eventos

“Queremos uma regra único seguindo os moldes internacionais para liberação das atividades”, disse o organizador da manifestação

Um setor que movimenta 936 bilhões ao ano e gera 25 milhões de empregos diretos e indiretos está parado desde o início da pandemia: o de entretenimento. Com a diminuição brusca da curva de mortes no estado do Rio mesmo com a abertura até de pontos turísticos da cidade, os profissionais da área acham que está na hora de voltar aos poucos.

Por isso, eles organizam uma manifestação pacífica na praia de Copacabana neste domingo (16/8). “Mais de 500 profissionais do setor vão estar na manifestação. São diversas empresas de entretenimento apoiando a causa conosco. Pedimos o retorno, mas de maneira responsável. Queremos datas e prazos para podermos reaquecer. A nossa manifestação será com distanciamento e protocolos respeitados. Distribuiremos máscaras, álcool gel e água para todos os participantes, além disso levaremos cartazes com mensagens de incentivo ao nosso retorno e dados do segmento”, conta Maurício Mattos, organizador do evento.

“Queremos uma regra único ao nosso setor seguindo os moldes internacionais para liberação das atividades e nos disponibilizamos para apresentação do nosso protocolo de retomada que considerou as diretrizes da Agência Nacional de Vigilância Sanitária ANVISA, as recomendações do Sistema Único de Saúde – SUS e da Organização Mundial da Saúde – OMS e visa, antes de mais nada, propiciar a retomada segura, evitando retrocesso”, completa.

De acordo com a organização, entende-se dessa classe todos os profissionais de cinemas, teatros, casas de festas infantis, casas noturnas, espaços de eventos, produtoras de eventos, empresas de equipamentos, estruturas, transporte, buffets, e todas as empresas que movem mão de obra direta tais como, artistas, atores, músicos, artesãos, produtores, técnicos, seguranças, serventes, brigadistas, entre outros.

“Tendo em vista que nosso setor irá demorar para retomar suas atividades, a classe enfrentará mais um período sem receber qualquer valor. Por isso, solicitamos que seja criado um auxílio emergencial específico para o setor, que se estenda até a decretação da liberação total dos estabelecimentos de entretenimento e eventos em geral. Diversas pessoas não se enquadraram no Auxílio Emergencial do governo, por ter algum vínculo impeditivo, logo, muitos trabalhadores ativos e chefes de família já estão em situação de miséria. Este é um ato cívico, apartidário e pacífico que atenderá todas as normas de segurança recomendadas pela OMS”, ressalta Maurício.

Serviço:

Data: 16/08/2020

Local: Av. Atlântica – Praia de Copacabana, RJ (concentração Hotel Othon)

Horário: 9h (concentração) – 10h (início) – 11h (término)

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here