Um líder de religiões de matrizes africanas foi preso, nesta terça-feira (11), em Campos, por suspeita de violação sexual contra pelo menos seis vítimas, uma delas era a filha dele, de 14 anos. Na época do crime, a menina tinha 12. O homem ainda foi apontado como suspeito de estelionato contra quatro destas vítimas. Uma delas, segundo a Polícia Civil, ainda era mantida em cárcere privado e explorada por crime análogo a escravidão.
A prisão aconteceu no bairro Custodópolis, em Guarus, por agentes da Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam). Segundo a Polícia, o homem dopava as vítimas com chás alucinógenos, drogas e bebidas alcoólicas e cometia violência sexual, alegando que era um ritual de cura das religiões Umbanda, Candonblé e Santo Daime.

As investigações tiveram início em setembro de 2022 e o inquérito foi finalizado em fevereiro de 2023, quando foi para a Justiça.

A Polícia acredita que existam outras vítimas. Elas são esperadas na Deam.

Fonte: Ururau

Deixe uma resposta