Emancipado de Campos dos Goytacazes em junho de 1986, o município de Italva, na região noroeste do estado do Rio de Janeiro é também conhecido como “Cidade do Quibe”, em razão da participação de imigrantes sírio-libaneses na sua colonização.

Os reflexos da cultura e da culinária síria foram tão fortes que não só contribuíram para gerar o slogan como influenciaram na criação (12 anos antes da emancipação) de um dos eventos mais tradicionais da região, o Festival do Quibe, que chega à 50ª edição (bodas de ouro) no dia oito de setembro.

A transformação do distrito de Italva em cidade aconteceu através da Lei 999, assinada pelo então governador Leonel de Moura Brizola; no dia 12 de junho completou 38 anos; o município tem cerca de 15.300 habitantes e é rico de recursos minerais, sobressaindo mármore, calcita, dolomita e quartzo.

O Festival do Quibe, realizado pelo Pedra Branca Social Clube, faz parte do mapa turístico do interior do estado e atrai visitantes de diversas cidades fluminenses. Na programação deste ano terá como atração musical o grupo de pagode Dipropósito; além do cantor de axé Gil Paixão, conhecido em todo norte/noroeste fluminense.

Sobre o Festival do Quibe, a Câmara Municipal divulga; não é à toa que, em Italva, o quibe é até motivo de festa. “O Festival do Quibe é um dos eventos mais tradicionais da comunidade italvense, cujo perfil cultural tem fortes influências dos libaneses que, no início do século XX, se instalaram na cidade. Anualmente, no primeiro domingo de Setembro, a festa leva centenas de pessoas ao Pedra Branca Social Clube”.

O Dia

Deixe uma resposta